sábado, 25 de outubro de 2014

O BRASIL ESTÁ COM MEDO !!!!!! Ataque à Veja: É ''Atacam a liberdade''

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, condenou os ataques à sede da editora Abril, em São Paulo, onde funciona a revista Veja. 'Com isso, eles não atacam a revista, atacam a liberdade',  Em entrevista em São João Del Rey (MG), disse que o país assistiu 'um atentado à democracia' com as depredações e tentativa de 'censura' à revista.
Para ele, a intolerância já é 'uma marca dos nossos adversários'. Um grupo que apóia a candidatura da presidente Dilma Rousseff (PT) assinou os ataques. O PT, por sua vez, entrou na Justiça para impedir a publicidade da capa de 'Veja' nas redes sociais. (Folha de S.Paulo)

Advogado protocola pedido de impeachment de Dilma

Nesta terça-feira, 21 de outubro, foi protocolado junto à Câmara dos Deputados Federais, no Distrito Federal, o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. E também duas outras ações junto ao Tribunal Superior Eleitoral, uma, requerendo o fechamento do Partido dos Trabalhadores (PT) e, outra, o afastamento da candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, das Eleições de 2014.
Segundo disse a este blog o autor das petições, o advogado Luís Carlos Crema, as denúncias fundam-se no fato da presidenta da República subordinar e submeter a sua administração, diga-se, a da República Federativa do Brasil, a interesses de entidade e governos estrangeiros, notadamente, à entidade denominada Foro de São Paulo e aos governos de países ditos ‘revolucionários’ da América Latina”.

Ele se explica assim:

“O Foro de São Paulo é uma entidade fundada pelo Partido dos Trabalhadores (PT) em 1990 com objetivos de definir estratégias e diretrizes para os ‘companheiros’ e partidos políticos revolucionários tomarem o poder nos países da América Latina e, passo contínuo, fixar políticas e ações para se manterem e se perpetuarem no poder, mediante atuações diretas nas administrações e políticas internas dos países, a exemplo do Brasil, Venezuela, Bolívia, Equador e Cuba.

É de ser destacar que no Foro de São Paulo, entidade com gestão estratégica direta do PT, houve participação das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), organização guerrilheira e tida por alguns países, como terrorista”.

Segundo o advogado, nas ações protocoladas são destacadas as declarações do ex-presidente Lula, de José Dirceu e da presidenta Dilma, que, “além de confirmarem a existência da entidade Foro de São Paulo, esclarecem e declaram as intenções da entidade para tomada do poder no Brasil e nos países da América Latina, quais as estratégias para administrar e se perpetuarem no poder”.

As duas outras ações, estas ajuizadas junto ao Tribunal Superior Eleitoral, fundam-se na violação da Constituição Federal, notadamente ao Estado Democrático de Direito, à Independência da República Federativa do Brasil e aos Direitos Políticos.
A ação do mandado de segurança requer o afastamento/impedimento da candidata do PT, Dilma, de participar das Eleições de 2014, vale dizer, na votação em segundo turno, no próximo dia 26, em face de que, diz a ação, “não preenche os requisitos constitucionais de elegibilidade e por violar os princípios constitucionais da moralidade e da legalidade”.

O pedido de fechamento do Partido dos Trabalhadores (PT), e a denúncia encaminhada ao Tribunal Superior Eleitoral para cancelar o registro do partido e seu estatuto “decorre do fato do mesmo estar, a exemplo da Presidência da República, subordinado e sob influência direta de entidade e governos estrangeiros”, diz o advogado Crema.
Blog do Claudio Tognolli)

Dilma e Lula deixaram de usar R$ 131 bilhões na saúde entre 2003 e 2014, afirma CFM

Levantamento feito pelo Conselho Federal de Medicina em parceria com a ONG Contas Abertas afirma que o Ministério da Saúde deixou de usar R$ 131 bilhões entre 2003 e 2014 na saúde pública. O período se refere aos dois mandatos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao da atual presidente, Dilma Rousseff, ambos do PT. A conta foi feita com base nos recursos autorizados pelo orçamento no período em relação ao que foi desembolsado pela pasta. Pelo cálculo feito no estudo, somente no ano passado R$ 12,78 bilhões permaneceram nos cofres. Neste ano, até outubro, dos R$ 107,4 bilhões autorizados, R$ 80 bilhões haviam sido usados. As informações são do Estadão.

"Há uma histórica subutilização dos recursos. Algo incoerente, sobretudo quando analisamos as necessidades do setor", afirmou o presidente do CFM, Carlos Vital. Ele disse que recursos seriam suficientes, por exemplo para construir 320 mil Unidades Básicas de Saúde de porte 1, destinadas para atendimentos mais simples. "O cálculo é feito apenas para dar uma dimensão do que poderia ter sido destinado para o setor e não foi", completou.

O Ministério da Saúde, em nota, contestou os dados. Afirma que nos últimos dez anos os recursos totais empenhados pela pasta alcançaram a média anual de 99% e garantiu cumprir o piso constitucional, calculado com base no que foi gasto no ano anterior, corrigido pela variação nominal do PIB. 

Pelos cálculos do CFM, entre 2003 e 2014 a dotação autorizada para a área da Saúde totalizou R$ 1,021 trilhão. No período, no entanto, desembolsos foram de R$ 891 bilhões. Vital avalia que dois fatores impedem a utilização integral dos recursos. A primeira delas seria o contingenciamento, ordem dada pelo governo para que o dinheiro, embora previsto no orçamento, não seja usado. Em seguida, viriam problemas de competência administrativa. Recursos previstos para serem usados em projetos, em parceria com Estados e municípios, que ficariam intocados por falta da apresentação de projetos adequados. 

Interação. "O dono do recurso tem de interagir, ir até seus parceiros, identificar as falhas e ajudá-los a superá-las. Faz parte da sua missão", disse Vital. Esta não é a primeira vez que o CFM faz levantamentos sobre a utilização de recursos destinados no orçamento para o Ministério da Saúde. Em anos anteriores, resultados foram encaminhados para o Ministério Público Federal e para Tribunal de Contas da União. 

O levantamento feito pelo CFM mostra que entre 2003 e 2013 foi autorizado o uso de R$ 81 bilhões em ações de investimento em saúde, como construção de Unidades Básicas de Saúde ou aquisição de equipamentos. Desse total, porém, foram gastos R$ 30,1 bilhões - de cada R$ 10 para investimentos, R$ 5,6 deixaram de ser aplicados.

Ainda de acordo com o levantamento, este ano foram reservados para investimentos R$ 10 bilhões mas, até outubro, R$ 3,7 bilhões haviam sido efetivamente pagos. O Ministério da Saúde dá números diferentes. Afirma que para essas ações foi autorizado o gasto de R$ 6,4 bilhões e que até outubro, 67% desse valor já havia sido empenhado. "A execução orçamentária da pasta segue o cronograma e o período do exercício mesmo considerando o ano eleitoral", diz a nota. Por lei, transferências da União para Estados e Municípios ficam suspensas no período de 90 dias que antecedem as eleições. A exceção fica por conta de obrigações que já haviam sido firmadas antes desse período.

Governador Beto Richa pede voto para Aécio Neves



















O futuro do Brasil está em jogo. E a decisão será neste domingo. Estou com Aécio, o político mais competente, preparado, honrado e decente, um gestor público testado e aprovado. Quando governador de Minas Gerais, foi considerado ao longo de oito anos do seu período, o melhor governador do Brasil. Tem no seu sangue o DNA de Tancredo Neves, seu avô, um dos maiores estadistas que este país conheceu. E o Aécio como presidente vai combater de forma implacável a corrupção neste país. Venha você também. Mais do que um voto consciente, eu peço um voto patriótico. O Brasil precisa da gente, sou brasileiro, sou guerreiro, sou Aécio 45. - de Beto Richa (PSDB) em mensagem postada nas redes sociais.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

ELEITOS Conselho Estadual da Cultura já tem seus representantes


Foi encerrada nesta quinta-feira (23), em Guarapuava, a última etapa da Conferência Estadual de Cultura 2014, convocada com o objetivo de eleger os novos representantes da sociedade civil no Conselho Estadual da Cultura (Consec). Os conselheiros e suplentes das oito macrorregiões histórico-culturais e das 10 áreas artístico-culturais foram eleitos em encontros realizados de 10 a 23 de outubro. 

Ao todo serão 18 representantes da sociedade civil e outros 18 do poder público e gestores de cultura do Sistema S, da Fiep e das Universidades Estaduais e Federais, localizadas no Paraná, conforme estabelecido na Lei 17063/12, totalizando 36 conselheiros. O processo de seleção dos membros do poder público já está em andamento e as instituições têm até o dia 03 de novembro para indicar os seus representantes. 

“Esta é a segunda composição do Conselho e temos certeza que os novos representantes eleitos contribuirão de forma significativa para a elaboração das políticas públicas para a cultura do Estado, como fizeram os conselheiros anteriores”, diz o secretário de Estado da Cultura, Paulino Viapiana. 

No total, 37 candidatos concorreram às vagas no Consec pelas macrorregiões. As áreas artístico-culturais contou com 29 candidatos: 02 (dois) da área de Artes Visuais, 04 (quatro) Audiovisual, 02 (dois) Circo, 03 (três) Dança, 02 (dois) Literatura, Livro e Leitura, 04 (quatro) Música, 03 (três) Ópera, 02 (dois) Patrimônio Cultural Material e Imaterial, 04 (quatro) Manifestações Populares, Tradicionais e Étnicas da Cultura e 03 (três) Teatro. 

A eleição para as áreas artístico-culturais aconteceram nas oito etapas da Conferência. Em todas as macrorregiões, as urnas foram lacradas, respeitando o Artigo 19 do regulamento, anexo à Resolução nº 045/2014. Estas urnas foram abertas na etapa final, em Guarapuava, e os votos apurados. 

“O processo foi concluído com representação em todas as áreas artísticas e macrorregiões. Algumas com mais de um suplente. Isto mostra o interesse da sociedade de participar e contribuir de forma efetiva para o fortalecimento da cultura paranaense”, destaca Ana Maria Hladczuk, coordenadora de Incentivo da SEEC. 

Confira os representantes das Macrorregiões eleitos para o Consec: 

Sudoeste – Eleitos: Marcelo de Freitas (titular) e Lester Calinski (suplente). A eleição aconteceu no dia 10 de outubro, na cidade de Francisco Beltrão. 

Campos Gerais - Eleitos: Rafael Schoenherr (titular) e Sérgio Luiz Gadini (suplente). A eleição aconteceu no dia 11 de outubro, na cidade de Ponta Grossa. 

Oeste – Eleitos: Amilton Faria (titular), Luciano Pietro Biaggi (primeiro suplente), André Luis Dutra (segundo suplente), Luciana da Costa Ferreira (terceira suplente), Leonir Brush (quarto suplente), Alonso Tomaz (quinto suplente) e Sandra Schiavini (sexta suplente). Do terceiro ao sexto suplente foi adotado o critério do desempate, contido no artigo 19, § 5º do regulamento, que define: no caso de empate, terão preferência aqueles de maior idade. A eleição aconteceu no dia 11 de outubro, na cidade de Toledo. 

Noroeste - Eleitos: Paulo Cesar de Sousa (titular), Miguel Fernando Perez Silva (primeiro suplente) e Rodrigo José Almeida Batista (segundo suplente). A eleição aconteceu no dia 18 de outubro, na cidade de Maringá. 

Curitiba - Eleitos: Antonio Marcos da Silva (titular), Nilza Merlim Perentel Silva Backes (primeira suplente), Edna Ferreira Lau (segunda suplente), Leziane Leocádio Santos (terceira suplente) e José Renato Sales da Silva (quarto suplente). A eleição aconteceu no dia 18 de outubro, na cidade de Fazenda Rio Grande. 

Nordeste - Eleitos: Gustavo Jose Salazar Garcia (titular) e Soraya Amaral Ferla (suplente). A eleição aconteceu no dia 19 de outubro, na cidade de Londrina. 

Litoral - Eleitos: Marcos Xavier Ribeiro (titular) e Rogério Soares (suplente). A eleição aconteceu no dia 19 de outubro, na cidade de Paranaguá. 

Centro-Sul - Eleitos: Rita Elizabeth Machado Felchak (titular), Rossana Campello Manfredini (primeira suplente) e Wellington da Costa Gonçalves Pereira (segundo suplente). A eleição aconteceu no dia 23 de outubro, na cidade de Guarapuava. 

Confira os representantes eleitos para o Consec das Áreas Artístico-Culturais: 

Artes Visuais - Denise Bandeira (titular) e Gustavo Lemos Hermsdorff (suplente). 

Audiovisual - Solange Straube Stecz (titular), Jeferson Ayetta de Miranda (primeiro suplente) e Marcio Kallil Saad Mattar Assad (segundo suplente). 

Circo - Fausto de Oliveira Franco (titular) e Luiz Valdemir Varini (suplente). 

Dança - Danieli Pereira da Silva (titular), José Wanderley Lopes (primeiro suplente) e Ernesto Yiuki Doi (segundo suplente). 

Literatura, Livro e Leitura - José Flauzino Alves (titular) e Marcelo Franz (suplente). 

Manifestações populares, tradicionais e étnicas da cultura - Brenda Maria Lucilia Oeiras dos Santos (titular), Kátia Maria Biesek (primeira suplente), Ricardo Antonio Borges Janotto (segundo suplente) e João Guilherme Furlan (terceiro suplente). 

Música - Magali Oliveira Kleber (titular), Antonio Marcio Ferrari (primeiro suplente), Luciana Gastaldi Sardinha Souza (segunda suplente) e Paulo Aloísio Schoffen (terceiro suplente). 

Ópera - Hylea Regina Cortes de Ferraz (titular), José Roberto Lança (primeiro suplente) e Gilcene Carneiro Fraga de Oliveira (segundo suplente). 

Patrimônio Cultural Material e Imaterial - Tatiana Zanelatto Domingues (titular) e Maria Cecília Amorim Barreto Pilla (primeira suplente). 

Teatro - Laura Chaves de Souza Peluso (titular), Marino Galvão Junior (primeiro suplente) e Maria Rosa Inoue (segunda suplente). 

O CONSEC - Criado pela Lei 17063/12, o Consec é composto por 36 membros, numa estrutura paritária, com representantes do poder público e da sociedade civil. O primeiro Conselho foi eleito em 2012 para um mandato de dois anos, concluído em 31 de julho deste ano. 

Entre as atribuições dos conselheiros estão: fiscalizar a execução dos projetos culturais e a aplicação de recursos, emitir pareceres sobre questões técnico-culturais, participar da formulação de políticas públicas do Governo do Estado na área da cultura, incentivar a proteção do patrimônio cultural, valorizar as manifestações culturais locais e regionais, incentivar pesquisas sobre a cultura paranaense, entre outras importantes ações.
Fonte: Agência de Noticias.

Veja: Dilma e Lula sabiam de tudo, diz Alberto Youssef à PF


Na última terça-feira, o doleiro Alberto Youssef entrou na sala de interrogatórios da Polícia Federal em Curitiba para prestar mais um depoimento em seu processo de delação premiada. Como faz desde o dia 29 de setembro, sentou-se ao lado de seu advogado, pôs os braços sobre a mesa, olhou para a câmera posicionada à sua frente e se colocou à disposição das autoridades para contar tudo o que fez, viu e ouviu enquanto comandou um esquema de lavagem de dinheiro suspeito de movimentar 10 bilhões de reais. A temporada na cadeia produziu mudanças profundas em Youssef.



Encarcerado desde março, o doleiro está bem mais magro, tem o rosto pálido, o cabelo raspado e não cultiva mais a barba. O estado de espírito também é outro. Antes afeito às sombras e ao silêncio, Youssef mostra desassombro para denunciar, apontar e distribuir responsabilidades na camarilha que assaltou durante quase uma década os cofres da Petrobras. Com a autoridade de quem atuava como o banco clandestino do esquema, ele adicionou novos personagens à trama criminosa, que agora atinge o topo da República. Perguntado sobre o nível de comprometimento de autoridades no esquema de corrupção na Petrobras, o doleiro foi taxativo:


— O Planalto sabia de tudo!

— Mas quem no Planalto?, perguntou o delegado.

— Lula e Dilma, respondeu o doleiro.

Leia matéria completa

VIRA VIRA ...AÉCIO PASSA DILMA COM 9 PONTOS .... AÉCIO 54,6 % CONTAR 45,4 % SEGUNDO PESQUISA SENSUS

Pesquisa Sensus  divulgada nesta sexta-feira (24) pela revista IstoÉ mostra, ao contrário das pesquisas Ibope e Datafolha divulgadas ontem (23), liderança do candidato tucano Aécio Neves, com 54,6% das intenções de votos nos últimos dias do segundo turno da eleição presidencial. Dilma Rousseff, candidata do PT à reeleição, aparece com 45,4%. O Sensus foi o único instituto a apontar, na véspera do 1º turno, que Aécio passaria ao 2º turno, e não Marina Silva (PSB).

A pesquisa também constatou que a dois dias das eleições 11,9% do eleitorado ainda está indeciso. “Como no primeiro turno, deverá haver uma grande movimentação do eleitor no próprio dia da votação”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. Se for considerado o número total de votos, Aécio tem 48,1% e Dilma, 40%.
O Sensus foi o único instituto de pesquisa a acertar o resultado do primeiro turno, que levou o candidato do PSDB à disputa do próximo domingo (26).


Pesquisa espontânea e rejeição

Na votação espontânea, quando nenhum nome é apresentado para o entrevistado, Aécio também está à frente de Dilma: o candidato do PSDB é citado por 47,8% dos eleitores e a petista por 39,4%. Indecisos e votos em branco são 12,8% e 0,2% ainda citaram outros nomes.
O índice de rejeição à candidatura de Dilma Rousseff é elevado: 44,2% dos eleitores afirmaram que não votariam na presidenta de forma alguma. A rejeição contra o tucano Aécio Neves é de 33,7%. Segundo o diretor do Sensus, Ricardo Guedes, explicou à IstoÉ, quanto maior o índice de rejeição, menor a probabilidade de crescimento do candidato.

Últimos levantamentos


No último levantamento Sensus, na sexta (17), o candidato PSDB tinha 56,4% dos votos válidos, contra 43,6% da atual presidente. No dia 11, a vantagem do candidato tucano era maior: 58,8% contra 41,2%, segundo o Instituto Sensus.
A margem de erro da pesquisa Sensus é de 2,2 pontos percentuais. O Sensus ouviu 2.000 eleitores em 136 municípios, entre terça e esta sexta-feira (24). O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral como BR-01166/2014. Com informações do Diário do Poder. 

Atacante Neymar declara apoio a Aécio Neves na eleição presidencial

O atacante Neymar decidiu quem vai apoiar no segundo turno da eleição presidencial. O craque do Barcelona declarou ontem quinta-feira (23), nas rede sociais, que vai votar no candidato do PSDB Aécio Neves. "Vou apoiar o candidato Aécio Neves porque me identifico muito com a proposta que tem para o Brasil", afirmou ele,